MÃE, MAMÃE…

Às vezes eu respondo: “fui pra Passargada sem passagem de volta!” Meus filhos me chamam o tempo todo pra tudo… e não adianta papai, vovó ou qualquer outra pessoa querer ajudar que a resposta é sempre a mesma: “eu quero a mamãe”!
Há quase 2 meses que estou sozinha cuidando deles e da casa, somente com uma faxineira pra limpeza pesada… como estão na escola, me planejo para fazer a maior parte das tarefas no período em que estão fora. Consigo cozinhar, lavar roupa, ajeitar a casa, ir a mercado e outras coisas. Mas quando estão por aqui tenho que utilizar meus super poderes e me transformar na Multi Mãe pra atender aos 4… cada um pede uma coisa, um vai ao banheiro, o outro quer um brinquedo, a outra chora por que puxaram o cabelo, a outra grita que quer passar esmalte e por aí vai…

Mae_mamae
E quando todo mundo se revolta e me chama ao mesmo tempo? E parece contagioso… percebem que alguém berrou e eu atendi e todos começam ao mesmo tempo. Se peguei no colo então, de repente me vejo com um no colo, um escalando minha perna ou minhas costas, outro chorando nos meus pés e outro gritando porque acabou o espaço!
O que eu faço? Saio cantando!! Sério, se ninguém está machucado saio cantando, dançando e rapidinho estão os 4 pulando e rindo… E as brigas para ficarem no meu colo quando tento sentar no sofá? Tenho que me sentar no meio do sofá e um coloca a cabeça numa perna, outro na outra, um encosta num braço e outro no outro braço. Conseguimos paz por uns 20 segundos pois logo alguém começa a chutar querendo que o outro saia… aí eu começo a sonhar com minha ida a Passargada sem volta…
Mas é claro que eu tenho os momentos de colo individual, quando fico um pouco mais com cada um… os meninos acordam bem cedo e tento me dividir com os dois antes das meninas acordarem. Enquanto a Larissa faz lição de casa fico com a Anna no colo e a noite curto a Lari antes de dormir… quando o papai está em casa fica mais fácil dar atenção individual, mas na maior parte do tempo me divido entre os 4 e muitas vezes não consigo dar a a atenção merecida… já me senti muito culpada por isso, mas hoje eu sei que eu faço o que me é possível.

Anúncios

MAS VOCÊ PAROU DE TRABALHAR, NÃO É?

Essa é a pergunta que eu mais escuto depois das pessoas saberem que tenho 4 filhos pequenos. Minha resposta? “Não. Trabalho muito mais do que antes!”
Quando eu trabalhava em um emprego, acordava cedo e tinha horário para iniciar e terminar meu serviço, com algumas exceções em alguns dias de reuniões ou eventos em que ficava até mais tarde. Tinha horário de almoço, onde eu sentava com meus colegas para bater-papo, rir, olhar umas lojinhas, me distrair. Tinha tempo de ir ao banheiro, escovar dentes, refazer a maquiagem. Eu estava sempre arrumada, unhas feitas, cabelo impecável, rímel e batom no mínimo, vivia de salto alto. Sempre tinha com quem conversar, trocar idéias, aprender. Aí chegava o final de semana e podia dormir até acordar, passear, não ter hora pra nada… e a melhor parte: no final do mês entrava dinheiro na minha conta!!
Não, eu não parei de trabalhar! Hoje eu acordo cedo e já tenho que dar leite para os meninos. Sento pra tomar café da manhã e tenho que parar no meio pra trocar fralda de cocô, limpar bunda e às vezes um xixi no chão. Volto pra mesa e requento o café, mas às vezes tenho que intervir na briga dos meninos ou atender o pedido de um brinquedo. As meninas acordam e faço o café da manhã delas, termino o meu e começo a lavar louça… tento ir ao banheiro mas não consigo. Coloco roupa pra lavar pois todo dia o cesto está cheio, arrumo camas, troco roupa, limpo mais umas bundinhas e quando olho no relógio são 9 horas e já tenho que providenciar fruta para os 4, arrumar mochilas, aprontar todos pra escola.

384-naopareidetrabalhar
Não, eu não parei de trabalhar! Visto qualquer coisa, prendo o cabelo num eterno rabo de cavalo e às vezes consigo olhar no espelho pra ver se não tem alguma remela ou mancha na roupa… Vamos pro carro, ajeito todo mundo, recebo uns tênis na cabeça enquanto dirijo, deixo todos na escola e passo correndo no mercado. Faço almoço, estendo roupa dobro e guardo as roupas do dia anterior, passo uma vassoura pela casa e sento pela primeira vez pra comer alguma coisa. Logo já é hora de buscar a turma. Coloco todos no carro, dirijo ao som de protestos de “tô com sono, tô com fome, para fulano, para você”, sem contar os chutes da Larissa no banco quando é contrariada.
Não, eu não parei de trabalhar! Em casa tenho que coordenar 4 crianças agitadas querendo cada um uma coisa, gritando, chorando, limpo mais alguns xixis e já tenho que preparar e dar o jantar. Faço suco, monto pratos, fico caçando um e outro pela casa pra comer, implorando cada colherada da Lari e da Anna quando finalmente um outro ser humano chega em casa para me ajudar: meu marido! Nesse momento, tento ir ao banheiro, mas sempre tenho companhia… sentamos pra comer e tentamos trocar meia dúzia de palavras, mas somos constantemente interrompidos pelos pequenos.
Não, eu não parei de trabalhar! Lavo a louça, dou iogurte pra todo mundo, separo pijamas enquanto o papai dá banho. Trocamos todos e colocamos na cama. Os meninos ficam quietos e dormem, mas as meninas querem história, canções, “fica mais um pouco”, até que eu decreto: “boa noite!”. Tomo meu banho, consigo finalmente dar atenção ao Andre e capoto literalmente. Final de semana, o que é isso?? No final do mês, ahhhh, nada na conta!!
Mas um dia vou retomar minha vida profissional e ter tempo pra mim… afinal, trabalhar é o que eu mais faço hoje em dia!!!
#maedeproveta #maedemuitos #trigemeos #triplets #naopareidetrabalhar

LUGAR DA DISCÓRDIA

Há duas semanas venho enfrentando um dilema diário na ida e na volta da escola. A Anna e o Alexandre disputam dramaticamente quem vai sentar ao lado da Larissa.
Desde que configuramos os carros para as meninas no meio e os meninos atrás, nunca havíamos enfrentado discussões. Os meninos mesmo se revezam nas cadeirinhas trazeiras e nunca houve briga entre eles. Agora o Alexandre resolveu que quer sentar no lugar da Anna… ela por sua vez, não cede seu lugar de jeito nenhum!
Quando vamos para a escola sempre coloco as mochilas no banco do passageiro e por 2 vezes o Lelê foi esperto e entrou no carro, passando para o banco de trás e sentando na cadeira antes que eu abrisse a porta para colocar a Anna… acabava deixando ele e colocava ela com o Lipe, mas a gritaria e choradeira dela me acompanhava por todo percurso.

383-lugardiscordia.jpg
Na volta da escola o mesmo drama quando ele sentava e ela tinha que ir atrás. Ok, mas então coloca ele no lugar dele. Sim, foi o que fiz, e aí nosso percurso pra casa é embalado pelos gritos do Lelê, sem contar que ficando bravo, ele simplesmente arranca cinto, chuta e começa a atirar sapato e meia pra todo lado… imagina você dirigindo e meia e sapato acertando a sua cabeça!!
Tentei negociar com a Anna que já compreende mais as coisas, mas em questão de posse ela é irredutível “esse é o meu lugar mamãe!”. Só me restou abandonar a democracia e baixar um decreto: a partir de hoje a Anna vai pra escola na “cadeira da discórdia” e na volta vem o Lelê. Sob protestos da mocinha em questão acabei com a “churumela” decretando: “quem manda aqui é a mamães e ponto final”!
E eles nem completaram 3 anos ainda… imaginem na adolescência…
#mãedeproveta #trigêmeos #mãedemuitos #triplets